• Background Image

    Como lidar com a fome emocional (sem devorar uma barra de chocolate)

    18 de abril de 2018

18 de abril de 2018

Como lidar com a fome emocional (sem devorar uma barra de chocolate)

A fome emocional é um fenômeno que atinge mais pessoas do que você imagina. Existem até aqueles que não sabem que possuem esse tipo de problema, e encontram dificuldades para perder peso.

E agora, o que podemos fazer para acabar com a situação? Será que sempre teremos esse problema? Na realidade, tudo pode ser amenizado e solucionado se você souber por onde começar. Acompanhe nossas dicas e conheça métodos.

O que é fome emocional?

Como o nome já sugere, a fome emocional é uma sensação de necessidade de comer, mesmo quando você não está com fome por fatores físicos. Ela é desencadeada por alguns sentimentos comuns, como o stress, a tristeza, a euforia ou a ansiedade.

Muitas pessoas não conseguem identificar quando estão realmente com fome, e quando se trata da fome emocional. Entretanto, um forte indicativo de que você está com problemas é a dificuldade de controlar os impulsos para comer quando algo sai errado, como um dia de pressão, a perda de um objeto valioso, brigas com pessoas próximas, entre outros.

Normalmente, essas pessoas já correm para a cozinha. A fome emocional não tem público definido. Inclusive, pessoas magras podem sofrer com o problema, e acabam tendo um ganho muito rápido de peso.

E agora, o que fazer?

Conheça nossas dicas exclusivas para acabar com o problema da fome emocional e investir na sua saúde com todo o sucesso que você espera.

Conheça a causa da fome emocional

O primeiro passo para acabar com essa situação é identificar as causas. Elas podem ser muito diferentes dependendo da pessoa, e geralmente estão ligadas a episódios do passado, que se uniram com fatores desencadeantes do presente.

Nesses casos, é essencial fazer um exame de consciência para entender onde está o erro. Na maioria das vezes, você pode se orientar por coisas que acontecem de maneira repetida, gerando a descarga de sentimentos ruins, que você acaba descontando na comida.

Pode ser até uma situação pontual, como a falta de dinheiro ou impossibilidade de lidar com discussões em casa. Utilize métodos para identificar o que está ocorrendo antes de solucionar.

Sempre considere ajuda profissional

Um dos principais meios de acabar com a compulsão, chamada de fome emocional, é a ajuda profissional. Você pode procurar por dois tipos de médicos: o nutricionista e o psicólogo.

O nutricionista passará uma dieta adequada, que você precisa seguir para evitar o ganho de peso. Já o psicólogo vai ajudar a acabar com esses comportamentos que você não pode controlar, que se assemelham aos demais comportamentos de compulsão tratados por terapia.

Vale tentar, se você tem tempo, mesmo se a situação ainda não está extrema. Quanto mais cedo o tratamento começar, melhores os resultados.

Cuidado com os períodos de instabilidade

Os períodos de instabilidade podem ser previstos? Em alguns casos, a resposta é positiva. Isso vale para quando falamos de períodos de pressão no trabalho, chegada de eventos importantes ou até mesmo a vivência da TPM no caso de mulheres.

Se você souber que um evento de pressão, stress ou ansiedade vai ocorrer, é interessante começar a se preparar com antecedência. Você pode até ter medidas paliativas, apenas para reduzir as chances de ter fome emocional durante esse tipo de situação.

Pode ser que, realmente, você não consiga prever as situações na maioria das vezes. Mas é essencial se focar no que você pode controlar.

Procure outras atividades

Outras atividades, principalmente a atividade física, podem te ajudar a controlar a vontade de comer. Isso ocorre principalmente por conta da liberação de neurotransmissores, hormônios de atuação no cérebro que geram uma descarga de felicidade e bem-estar.

Na alimentação, a pessoa que tem fome emocional sente essas sensações por um período limitado. Por isso, é complicado acabar com o hábito. Aí está a necessidade de trocar uma atividade por outra.

Mas tome cuidado para fazer essas atividades de maneira regular. O exercício, por exemplo, deve ser controlado para gerar os resultados que a pessoa espera.

Invista em reeducação

A reeducação alimentar é como uma dieta prolongada. Uma dieta simples dura um período determinado de tempo, o que gera o risco da pessoa continuar com a fome emocional depois do final.

A reeducação é diferente, porque ela modifica a relação com a comida para sempre. As dietas ricas em nutrientes, por exemplo, são ótimas maneiras de começar a investir na reeducação, pois elas liberam aqueles neurotransmissores da felicidade, mais especificamente a serotonina.

É interessante, mais uma vez, contatar um profissional de nutrição para te ajudar. A reeducação é contínua e feita por etapas. Por isso, precisamos de uma pessoa capacitada para dar orientações.

Cuidado com as substituições

As substituições são perigosas, principalmente para pessoas que já possuem o vício de comer quando estão nervosas, ansiosas ou tristes. Muitas vezes, o que vemos é uma substituição de um vício por outro.

Você pode até emagrecer, mas a sua saúde não se beneficiará se você comer a beber, fumar ou sustentar outros tipos de dependências. Siga o princípio de que nenhum vício realmente é bom. Para acabar com a compulsão, você vai precisar de uma vida equilibrada. Isso vale para a dieta e para outros hábitos.

Adote medidas práticas em sua casa

Medidas práticas ajudam a formar uma rotina de combate a esses episódios de compulsão. E quais são elas? Na realidade, vai depender de como a sua rotina funciona, e das coisas que você possui ao seu alcance.

Você pode, por exemplo, colocar apenas comidas saudáveis ao seu alcance. Se você tem a mania de comprar alimentos gordurosos na rua, durante algum episódio de stress, por que não tentar sair de casa sem o cartão ou com o dinheiro contado?

Esses são somente exemplos, que você pode modificar de acordo com as necessidades. O que vale é tentar ser prático!

E você, está pronto para acabar com a fome emocional e entrar em uma boa dieta? Não perca tempo e comece ainda hoje. Deixe o seu comentário abaixo em caso de dúvidas e sugestões.

0 Comentários

Deixe um comentário

Deixe uma resposta